16 de janeiro de 2011

Só eu que lembro desse?!

Colé que é do povo da terceira idade aqui que só eu lembro do desenho do Kissyfur? Não tiveram infância, não?! Até parece que foi ontem que eu me pegava no pau com o meu irmão pelo melhor lugar do sofá só para não perder essse! Tão clássico quanto o Pica-Pau descendo as Cataratas...
video

5 de janeiro de 2011

Razões para querer ser funcionário público e não comissário de voo

Para quem me pergunta, vez que outra, porque escolhi essa vida, aí vão só algumas verdades que sempre tive vontade de dizer. Vale lembrar que o blog é aberto a discussões, e se alguém aí achar que vale mais a pena servir bandeja em avião, sinta-se à vontade para protestar!

• Não precisamos usar uniformes;
• A sombra não precisa ser azul nem o batom precisa ser vermelho;
• Não precisamos usar topetes;
• Se a saia subir acima do joelho ninguém ousaria chamar a nossa atenção;
• Os homens não têm fetiches com funcionárias públicas;
• Não recebemos bilhetinhos em guardanapos;
• Ninguém pergunta o nome do rio que está correndo lá embaixo;
• Não trabalhamos com escalas;
• Podemos usar tênis;
• Podemos ficar fedidos;
• Não precisamos sorrir quando não estamos a fim;
• Não precisamos agradar ninguém;
• Não temos horário;
• Não precisamos fazer check nos equipamentos de segurança antes de iniciar o expediente;
• Nunca estamos em situação de emergência;
• Se algo atrasar ou alguma coisa der errado não será problema nosso;
• Sempre estamos certos e a organização sempre está errada;
• O cliente nunca está com a razão;
• Não precisamos ter espírito de servir;
• Não temos que ler o livro do comandante Rolim;
• Podemos andar com o esmalte descascando e o cabelo despenteado;
• O salário é maior e o trabalho é menor;
• Ninguém nos obriga a usar bottons comemorativos;
• Os clientes não têm pressa porque nós também nunca temos pressa;
• Podemos usar o celular durante o trabalho
• Podemos dormir durante o expediente;
• Não precisamos fazer demonstrações de segurança;
• Não precisamos servir barrinhas de cereais nem sucos de laranja;
• Não trabalhamos servindo destilados e, por conseqüência, não precisamos agüentar bêbados.