30 de dezembro de 2007

Feliz 2008

Acho que esse lance de feriadão, ano novo, etc anda afetando minha criatividade. Como sou um blogueiro bem educado, não poderia deixar de desejar feliz ano novo a todos os leitores (tanto aos que comentam como aqueles que olham e não deixam recados... e até aos que me detonam, como a Iashmin). E que o ano novo traga novas surpresas, mas melhores do que a do vídeo abaixo:




O Autor tentou reproduzir a pegadinha acima, mas não contou com alguns imprevistos:

29 de dezembro de 2007

Aniversários!

Ontem sai na correria do serviço, e mal me despedi do pessoal. Pior é que nem tive tempo de desejar Feliz Aniversário ao meu amigo Henrique (que hoje está completando 20 anos!) Parabens! e aproveito para dar os parabens atrasados à minha chefe que completou 22 anos na semana passada, mas como estava de férias, também não tive a oportunidade de cumprimentá-la! Aos demais leitores, desejo um feliz ano novo!!



O Autor só lamenta que estas datas tão importantes se dêem em meio de festividades tradicionais de fim de ano. Por conseqüência preciosas oportunidades para desfrutar de salgadinhos e docinhos de festa no serviço são desperdiçadas! hehehe

28 de dezembro de 2007

Guerra nas Jornadas Estelares

Hoje no serviço tivemos uma conversa das mais hilárias! Não me lembro exatamente como chegamos ao assunto, mas estávamos tentando explicar a diferença entre Jornadas nas Estrelas e Guerra nas Estrelas para nossa confusa amiga. Para situar os leitores sobre o nível da conversa, rolou tanta bobagem e o desconhecimento sobre as séries de ficção estelar era tanta da parte da nossa amiga que a explicação acabou mais ou menos assim:

O "Capitão" Spock (o das orelinhas pontudas), que é pai do "E.T." (aquele do dedinho luminoso que anda de bicicleta) luta contra o malvado de capa preta (Darth Vader).


Pois é, ia ter muito "nerd" radical se contorcendo no caixão se tivesse ouvido uma palavrinha sequer de nossa conversa...

O Autor, que é nerd confesso, possui conhecimentos bastante superficiais a respeito das séries mecionadas. Mesmo assim ele sempre soube que estava do lado negro da força, ho ho ho...

27 de dezembro de 2007

Pombas e Algodão

Preza a lenda que os super-heróis tem alguma fraqueza. O Superman, mesmo com todos seus poderes, é vulnerável à Kryptonita e à magia (o que muitos não sabem). O anel do Lanterna Verde era (atualmente esse defeito foi corrigido) ineficaz contra matéria de cor amarela. Ajax, o caçador de marte, tão poderoso quanto o Superman, era vulnerável tanto psicologicamente quanto fisicamente ao fogo.

Me parece que quanto mais incrível são os poderes de um herói (especialmente os do universo DC), maior a necessidade de que haja um "calcanhar-de-aquiles". Embora eu esteja distante
de qualquer semelhança com um heróis (e muito menos um super-herói) também possuo pontos fracos. Justamente por não ter qualquer inimigo ou nêmesis por enfrentar, não preciso temer a revelação de quais são:



1) Pombas:

Atualmente tenho conseguido vencer este medo e quase contorná-lo, mas confesso que ainda me desperta algum temer ter de enfrentá-las. Quem já não passou por algum parque, ou mesmo algum largo no centro e se deparou com uma horda de aves amontoadas em torno de algum resto de pipoca? Pelos Deuses, pior ainda são aquelas senhoras que ficam jogando milho ou alpiste, rodeadas por dezenas de pombas famintas e caoticamente ordenadas lutando por migalhas... Se um dia eu tiver superado por completo minha fobia, ainda passarei por este que considero um teste supremo.




2) Algodão:

http://3.bp.blogspot.com/_zWGJVkNaFF8/R7kGVi-93VI/AAAAAAAAAaw/pkoSpbyWKBM/s1600-h/cotton.jpg
Jamais peça que eu alcance um chumaço ou "bolinho" de algodão para quaisquer fins. A simples imaginação de manusear tal material branco e fofo me causa arrepios. É verdade que nunca me forcei a superar essa limitação, assim como algumas pessoas tem arrepios quando unhas arranham um quadro negro, sinto algo semelhante no contato com o algodão de farmácia, e às vezes até com o algodão de flanelas molhadas.

http://3.bp.blogspot.com/_zWGJVkNaFF8/R7kFqi-93TI/AAAAAAAAAag/ioypCwKqVOQ/s1600-h/algodao.jpg

Pensei em incluir outros pontos-fracos, como ombros, costas e nucas femininas, ou coxas firmes, torneadas, bronzeadas... mas como tais fraquezas só me aparecem em sonhos, creio que posso lidar com elas...


O Autor alerta que além de perturbá-lo quando caminha pelas ruas da capital, as pombas também são transmissoras de doenças respiratórias. E ainda usam a ave como símbolo da paz... tsss...

Rambo

A música é de filme tosco, o ator é de filmes vazios e o personagem não poderia ser mais ignorante. Pois é, mas acho que esse filme vai ser muuuito divertido de assistir. Faz tempo que ninguém surge nos cinemas detonando com estilo (Tripo XXX? fala sério, o Rambo mastiga caras como ele no café da manhã). Fiquem com o Trailer:



Quando foi cabeludo, o Autor participou de uma acirrada Olimpíada na ilha do Pavão (promovida pelo Grêmio Náutico União) e para controlar suas indomáveis meleñas, fez uso de uma faixinha azul... ao melhor estilo Rambo. Velhos tempos...


Revolução Bolivariana em POA!

No meu caminho para o serviço presenciei algo novo hoje! Estava atrasado, fiquei uns 15min ou mais esperando o ônibus na parada (em geral não espero nem 5 min) e quando crente de que pegaria um Auxiliadora lotado me deparo com um Boliviano tocando violão dentro do ônibus!

Muitos já devem ter passado pela Rua da Praia ou arredores e testemunhado aqueles grupos de mendigos importados tocando gaita. Pois é, não são gaitas, são lindas flautas incas. Sempre adorei esse tipo de música, me faz lembrar das minhas raízes andinas.


Bem, pois o "convidado" boliviano tocava violão, assoprava flauta e ainda cantava! Muito divertido, eu nunca havia pegado um ônibus com música ambiente ao vivo! Ele cantava algo tipo "Feliz navidad" meu portunhol é muito tosco, suponho que seja o Feliz ano novo que ele nos desejava. Eu até ia dar uns trocados, mas o ônibus estava muito cheio pra alcançar a toca inca que ele estendia aos passageiros, solicitando uma doação. Tomara que todo dia tenha novos espetáculos para os usuários do transporte público, isso sim é qualidade de vida!

A parte que o Autor achou mais divertida foi quando 2 passageiras começaram a cantar junto com o artista andino. Só faltou o Autor levantar os braços e puxar uma coreografia junto com a cobradora...


Patriotismo

Numa República, quem é o País?

É o governo do momento? Porque afinal de contas, o governo é apenas um funcionário temporário. Não pode ser a sua prerrogativa que determina o que é certo ou errado, decidir quem é patriota ou não. Sua função é seguir ordens e não dá-las.

Quem, então é o País? são os jornais? a Igreja? Afinal, estas são apenas partes do País, não o todo. Eles não têm comando, mas apenas uma pequena parcela dele.

Em uma monarquia, o Rei e sua família são o País. em uma República é a voz comum do povo. Cada um de vocês, por si só, deve falar com responsabilidade. Trata-se de uma enorme e solene responsabilidade que não deve ser subestimada pela Igreja, Imprensa, Governo ou frases vazias e impactantes dos políticos.

Cada um deve decidir sozinho o que é certo ou errado, qual atitude é patriótica ou não. Não se se pode ignorar tudo isso e ainda ser um homem de honra. Tomar decisões contra as suas convicções significa tornar-se um traidor desqualificado e imperdoável, tanto a si mesmo quanto ao País. Deixe os homens rotulá-lo como quiserem. Se você sozinho, em toda uma nação, decidir tomar um rumo considerado correto de acordo com suas convicções, cumpriu seu dever para consigo e seu País. Erga a cabela. Não há nada de que se envergonhar.

Não importa o que a imprensa, os políticos ou as multidões digam. Não interessa se todo o País decidir que uma coisa é certa e outra, errada. Esta Nação foi fundada em um princípio acima de todos: Nós temos de defender o que acreditamos, não importam as conseqüências. Quando a Multidão e a Imprensa falarem pra você sair do lugar, seu dever é firmar-se como uma árvore ao lado do rio da verdade e dizer pro mundo inteiro...

"Não. Saiam vocês!"

Mark Twain.

26 de dezembro de 2007

Ronaldo no FLA!

Durante meu recesso o principal assunto no sites futebolísticos foi a possível vinda de Ronaldo Fenômeno para o elenco rubro-negro. Ainda não cheguei a um veredicto, mas uma coisa é certa: as opiniões se dividem entre:

"piada, o cara é ex-jogador... vai vir apenas pra entrar em forma pro carnaval!"

ou

"grande jogada, se voltar a ser 50% do Ronaldo da copa de 2002 vai arrebentar!"

Se analisarmos friamente o panorama nacional do pé-de-obra, não acharemos nenhum jogador com a qualidade do Fenômeno nos nossos gramados (com exceção feita talvez a Nilmar no Inter). Mesmo que volte a jogar apenas o que apresentou na Copa do Mundo de 2006 (com 10kg acima do peso) ainda dára um banho na maioria dos nosssos atacantes.



Ronaldo ainda é relativamente jovem, tem 31 anos, mas seu histórico de lesões assusta. Em termos de divulgação e marketing, basta que se explore corretamente a sua imagem, que o custo da vinda será mais do que coberto, trazendo lucros. Meu maior medo é que se crie no Flamengo o que aconteceu no Vasco de Romário: um time voltado para jogar em função de um ídolo decadente. Isso seria péssimo, principalmente se considerarmos que finalmente o Fla parece ter montado um elenco para disputar a Libertadores com reais chances de título. A contratação no fenômeno pode ser um tiro certeiro... desde que não se mire no pé!

Um sujeito que passou por 3 cirurgias graves nos joelhos, é o maior artilheiro das copas do mundo de toda história, e ainda deu uns "pegas" na Daniela Cicarelli não pode ser menosprezado. O Autor ainda acredita que o Ronaldo pode voltar a brilhar, desde que reencontre motivação para triunfar novamente. Se no seu clube de coração, diante de mais de 80 mil pessoas gritando seu nome, não encontrar entusiasmo para exercer sua profissão... é melhor encerrar a carreira. Mas o Autor acredita no Fenômeno! vamos, lute Ronaldo!!!

21 de dezembro de 2007

Nova Fronteira

Seguindo a tendência de películas que me empolgarão no ano que vem, trago mais um trailer do filme que talvez seja o mais bacana de 2008... pena que sairá somente em vídeo (dvd)


'Justice League: The New Frontier' Trailer

O Autor anuncia que até o dia 26/12/2007 (quarta-feira) estará em recesso, cumprimindo missão familiar nas distantes paragens de Rio Grande. O Autor aproveitar para comunicar um Feliz Natal a todos os seus leitores!


CPMF

Ainda que um pouco atrasado, afinal de contas a CPMF foi encerrada no senado, não poderia deixar de expor minha opinião. Ao contrário do que todos pensam, eu não era e continuo não sendo favorável à extinção da CPMF. (Já posso imaginar a cara que vocês leitores estão fazendo... hehe)


Mas calma! Não enlouqueci, nem fui comprado pelo presidente! Minha humilde opinião é baseada em argumentos ponderados. Não compartilho da corrente do Presidente Lula, que alega a CPMF ser um imposto que só incide sobre os abonados. Todos nós acabamos realizando transferências financeiras, porém os campeões nesta modalidade são especuladores e investidores de grande porte. Vejam bem, não sou contra a mobilidade de capital, e muito menos contra mercado de ações, fundos de investimento e outrem. Mas seria tolice sustentar que miseráveis ou simples trabalhadores movimentem volumes financeiros tão grandes quanto a nata da burguesia.


Ok, essa última parte soou como expelida por um membro do PCO ou do PSTU (não era a intenção). O verdadeiro problema da carga tributária nacional não é/era a CPMF, e sim o conjunto de impostos e taxas que asfixiam a economia tupiniquim. Sou radicalmente contra a política fiscal praticada no País, e não penso em outra alternativa que não uma pesada reforma tributária para fazer o País se desenvolver (e não esse lixo de PAC, fala sério). Paralelamente e tão importante quanto é abolir a fixação em crescer. Crescer como um monstro desproporcional e recheado de desigualdades é tão ruim ou pior do que continuar pequeno. o Brasil precisa se desenvolver, mesmo que em ritmo contido, mas de forma equilibrada e com visão de longo prazo.


Assim como o imposto de renda, a CPMF obedece a proporcionalidade financeira, seja de ganhos ou de movimentações, sendo cobrada de forma eficiente (reduzindo a sonegação) direto na fonte, diferente das cascatas tributárias que temos por ai, onde produtos manufaturados chegam a ter 50% de seu preço final destinado à fazenda. Me pergunto como um País com pretensões de modernização pode cobrar impostos altos como o faz com produtos de informática...

O Autor se revolta com a concentração de impostos nas mãos da União, quando quem oferece serviços como segurança e EDUCAÇÃO (alô presidente!!! ops, esqueci que pra ler o blog tem que saber ligar um pc... e saber LER) são os Estados, estrangulados como estão...

20 de dezembro de 2007

Alma Imoral

A Alma Imoral, com Clarice Niskier, é um monólogo que trata dos diferentes conceitos de moralidade e, principalmente, da dualidade entre tradição e traição. Esta última é sempre vista como algo negativo quando, na verdade, a traição é a guardiã do futuro enquanto a tradição é a guardiã do passado.

Clarice aponta exemplos como o dos judeus. Quando os romanos estupraram cada judia sabiam que a tradição judaica determinava que os judeus deveriam ter pai judeu. Se os rabinos fossem fiéis à tradição, os judeus pereceriam ali. Mas os sábios traíram a tradição e disseram que seria judeu todo aquele que viesse de mãe judia, indepentendente do pai. Só assim guardaram seu futuro: traindo seu passado.

....................................................................................................................................

Pela descrição a peça estimula questionamentos sobre tradições e outros valores agregados. Fiquei bastante curioso, talvez dê um jeito de assistir ao espetáculo quando estiver por estas paragens!

Como não podia deixar de ser, já me pus a montar analogias... Me considero um sujeito extremamente leal às minhas crenças. Leal o suficiente a ponto de não temer admitir que desde os 12-14 anos não mudei minha forma de pensar em praticamente nada. "Poh rapaz, então quer dizer que você ainda é um adolescente?" para esta respota eu digo: "NÃO!" ainda sou a mesma criança por dentro e talvez por isso me vejo com um sujeito infeliz. Não tenho mais as vantagens da infância... o tempo me foi pondo sobre os ombros as responsabilidades da vida adulta, sem me dar opções... mas como ainda estou arraigado aos mesmos princípios, valores e mesmo prazeres da infância, não desfruto ou aproveito das vantagens da vida adulta (até porque não vejo praticamente nenhuma). Deveria eu trair meu passado para iniciar uma nova etapa? Embora eu saiba que seja o natural, convencional e mais suave modo de encarar a vida, minha fidelidade não o permite...

Por mais irônico que pareça, o Autor adora questionar costumes e normas ao seu redor, sempre privilegiando a inovação e audácia... no entanto se enxerga como um velho conservador... quase de visões maniqueístas... paradoxal não? :P


18 de dezembro de 2007

Empolgação

Minha irmã me passou um video muito engraçado. Me fez lembrar de quando eu era feliz, e ganhava presentes inesperados. Nunca vou esquecer do natal em que ganhei o castelo de Greyskull. Me lembro de quase todos presentes que recebi naquele natal, e de como fiquei feliz com cada um... mas acho que nem quando era menor (sim, já fui mais baixo do que sou hoje... acreditem, é possível) me empolguei como o menino abaixo:






Nesse natal o Autor se presenteou bastante, mas nada que se aproxime com os natais de sua infância. Maldito amadurecimento, ser adulto fede... (nem com 100% de sexo no gráfico ia compensar)

37, pede pra sair!

Hoje pela amnhã fui ao dentista. Nada de especial, era para ser uma mera revisão, ou "check-up" como os mais embrumados preferem dizer. Meu histórico dentário é dos mais limpos. Nunca tive cáries, nada de irritação na gengiva, 0 de placas... Enfim, tudo perfeito se não fosse por meu bruxismo*.

Essas consultas-padrão normalmente envolvem uma limpeza detalhada dos dentes, um reforço de flúor no esmalte e uma radiografia para averigüar a saúde interna de cada "soldado bucal". Epa! alguém mencionou radiografia? pois é, tudo corria bem até chegarmos dessa etapa. Prontamente a assistente do consultório observa: Dr., o senhor viu bem o 37? Meu dentista, um senhor de estatura e voz imponente se pronuncia: "é verdade, o que será que temos aqui?"
Eu que estou acostumado a ouvir elogios e conversas sortidas para fazer o tempo da consulta passar, começo a me dar conta de que algo de grave pode estar ocorrendo! Ambos saem da sala e me deixam só por um minuto, recostado naquela poltrona quase que deitado em uma cama. Na minha momentânea solidão fico pensando: "isso nunca aconteceu antes, tem algo de errado aí!"

De repente escuto a grave voz de meu dentista: "Chama o Barreta! pede pra ele chegar aqui!"

Logo decubro que "Barreta" é o nome do dentista que clinica ao lado, especialista em tratamento de canais. Vejam bem... meu dentista encontrou algo na radiografia que requer a opnião de terceiros! O panorama vai piorando... mal tenho tempo de pensar e escuto: "Chama a Bete!" Mais uma dentista é convocada para analisar meu caso... agora sim o desespero vez residência no meu coração! quem mais falta ele chamar? os bombeiros? a brigada? o BOPE?

Só então eu fico a par da real situação: meu "37" (o último molar no lado esquerdo da minha arcada inferior) apresentou uma formação estranha... num primeiro momento suspeitaram que fosse uma cárie, mas o padrão era ilógico demais para tanto. Segundo eles a polpa teria "enlouquecido" e passado a se reabsorver.

Mas que ótimo!!! terei que fazer um tratamento de canal quando cuido tão bem de meus dentes! que belo presente de natal eu ganho... Serei eu tão perturbado e louco a ponto de até minha polpa do 37 ter pirado na batatinha? Para minha sorte ainda existia a possibilidade de que fosse uma distorção do raio X alega o Dr. Barreta. E lá me vou para seu consultório para fazer mais umas chapas do 37.

Assim que chego, a assistente do Dr. Barreta me pergunta: "Há disponibilidade de horário para fazer o tratamento hoje à tarde?" Puxa, nem havia recostado a cabeça na poltrona do consultório e já estava visualizando meu dente ser morto por dentro (qualquer semelhança comigo seria mera coincidência?), ter sua polpa sugada, substituída por massa de obturação... pobre 37... tão comportado... e acaba insandecido por minha loucura... mais uma vítima de meu descontrole!!!

As radiografias são realizadas... e fico ali, novamente aguardando o parecer do Dr. Barreta... o veredicto sobre o destino do pobre 37! Nesse momento de espera e angústia me brota na mente a idéia do "Segredo"... seria possível que minha vontade moldasse em nível quântico o futuro do 37? Bem, nada tinha eu a perder... armado somente de meus pensamentos positivos (e vejam bem, são beeeeem poucos eles) me ponho a desejar que o 37 permaneça, não saia! Ele é parte de mim... nasceu em minha boca e eu o cultivei... cuidei dele como quem cuida de um filho... todo dia escovo-o e passo a fita dental... sempre fiz as revisões anuais da minha saúde bucal...

ELE FICA!

e não é que ao retornar da análise o Dr. Barreta anuncia: "temos Boas notícias! era mesmo apenas um distorção... pode ficar tranquilo." UFA, o 37 fica... meu alívio foi grande, não estava disposto a pagar por um tratamento caro como o de canal, nem de perder uma tarde sentado naquela poltrona reclinável, controlando a dor e vendo meu pobre 37 se tornar uma cópia vazia do que já foi, seguindo os passos de seu portador...

Bem, contei essa história toda porque por alguns momentos me apeguei àquela baboseira de Segredo, lei da atração, etc... Não, não estou cuspindo no prato em que comi, apenas busquei em mim alguma chance de que desse certo... mas fica o registro de que até eu, um ser lógico e racional pode apelar para o inexplicável...

*O Autor é vítima de bruxismo, que junto com o briquismo, são hábitos parafuncionais que levam o paciente a ranger os dentes de forma rítmica. O bruxismo consiste em ranger ou apertar os dentes durante o sono, e o briquismo, consiste em ranger ou apertar os dentes durante o dia. Ambas são patologias semelhantes observadas em pacientes de todas as idade e geralmente estão relacionadas ao alto nível de stress. A origem do nome bruxismo se deve ao fato de que na idade média se acreditava que a pessoa que rangia os dentes durante o sono estava tomada por um feitiço ou uma bruxaria. Mas o Autor nada tem de Bruxo, exceto a deficiência estética...


Let's put a Smile on that face!







O Autor tem excelentes expectativas cinematográficas para o ano vindouro.



17 de dezembro de 2007

Indenização Já!

Tem um sujeito na Argentina (só podia) que teve uma idéia estranha, mas brilhante! Os belos devem pagar indenização aos feios! Li a matéria e achei sensacional:
..............................................................................................................
Argentino propõe criação de imposto sobre beleza
Por Redação, com BBC - de Buenos Aires

O escritor argentino Gonzalo Otálora está causando polêmica com uma campanha em que defende a cobrança de impostos das pessoas consideradas lindas para compensar o "sofrimento" daqueles que supostamente foram menos favorecidos pela natureza.O escritor, de 31 anos, diz que sua iniciativa tem o objetivo de provocar um debate sobre o culto à beleza na Argentina e sua influência em setores como a política, a economia e a educação. Armado com um megafone em frente à Casa Rosada, sede da Presidência argentina, em Buenos Aires, Otálora reclama os direitos das pessoas que são consideradas feias pela sociedade. Otálora, que se considera parte do grupo dos menos agraciados, afirma "por experiência própria" que os feios não têm os mesmos direitos que os lindos na Argentina. Em seu livro, intitulado "Feio", o escritor argentino narra em primeira pessoa o sofrimento que enfrentou por sua suposta falta de beleza.

— Minha história é a de um garoto que usava óculos e aparelho nos dentes, que era alvo de deboche dos colegas de escola e rejeitado pelas meninas nas festas. Tempos depois, quando procurava emprego, sentia-se tão feio e inseguro que não conseguia nada —, disse Otálora à BBC.

— Eu pensei que se fizesse dieta, fosse todos os dias à academia e me submetesse a uma cirurgia plástica poderia ser feliz. E me dei conta de que fiz tudo isso e (ainda assim) não me sentia completo. Minha vida não mudou —, completou.

Na Argentina, a beleza física é associada à imagem de modelos e atores que aparecem nos meios de comunicação, e as pessoas são consideradas mais ou menos belas conforme se aproximam ou se distanciam desses parâmetros. Otálora diz que empreendeu sua cruzada para que os argentinos tomem consciência dos valores que sustentam esse tipo de discriminação e "autodiscriminação". O escritor propõe que o imposto cobrado dos belos sirva para subsidiar os feios e reparar seu sofrimento.

— É um paliativo, porque neste país, onde se diz que as mulheres argentinas são as mais lindas do mundo, um garoto feio ou que se sinta feio está de algum modo condenado a ser infeliz —, afirma.

Otálora apresentou seu projeto ao presidente da Argentina, Néstor Kirchner, a quem classifica como "pouco atraente" e de quem espera alguma resposta por simpatia à causa. O escritor admite que a idéia de um imposto sobre a beleza "pode parecer uma loucura", mas afirma que é apenas um ponto de partida para discutir outros temas. Ele enumera alguns assuntos que, em sua opinião, deveriam ser debatidos.

— Que nos desfiles de moda estejam representados todos os tipos de constituição física, que na escola se crie um ambiente que desestimule o deboche e que se controle a importância que as empresas dão à aparência na hora de selecionar funcionários —, disse.

Por fim, Otálora dá um conselho a seus "pares" feios.

— Eu me reconciliei comigo mesmo quando me olhei no espelho, parei de me julgar e comecei a gostar de mim mesmo. E, às dificuldades, respondi com bom humor —, revelou
.....................................................................................................................

Obviamente a beleza é conceito relativo demais para se quantificar objetivamente. De qualquer forma, eu já ia preparar meu cofrinho para ficar beeeeem recheado! Quem sabe comprando muito brinquedo e outras bobagens eu encontraria consolo? o Autor alega que este não é o caminho a ser seguido, porém não deixa de ser interessante. Se tanto jogador de futebol feio como o demo virado do avesso fica bonito depois do sucesso (e da $$$) porque eu não poderia reverter meu status de atratividade com os bolsos recheados pelas indenizações de caras como Brad Pitt e Rodrigo Santoro? hehehe Nah, sei que este tipo de atratividade é falsa e não me interessaria por ela, o verdadeiro caminho está na aceitação da monstruosidade que existe em cada um... seja ela externa ou interna.


O Autor acha o Sr. Otálora demais! Quando seu livro sair traduzido em Português o Autor seguramente comprará um cópia! O Autor ainda está rindo por achar que o ex-presidente Kichner vai ser simpático à causa.

16 de dezembro de 2007

Domínio Mundial

Não, não estou falando do Milan, que hoje derrotou o Boca Juniors e conquistou o 4º torneio mundial de clubes da FIFA. Não, também não me refiro ao Corinthians, reconhecido como o 1º Campeão mundial de clubes pela FIFA. Para aqueles que não tiveram infância, ou nunca gostaram de ver desenhos ou filmes de super-heróis, estou pensando no grandes vilões dos quadrinhos, de animações e demais ficções heróicas.

É de concenso geral que, tradicionalmente vilões são representados de forma bastante simplificada para o público infantil, ainda sem muita malícia para compreender muitos traços da psique humana. É fácil pegar um personagem e imbuí-lo de uma maldade rasa e maniqueísta, representando a maldade personificada, pelo simples fato de se divertir com o sofrimento alheio.

Mas se ignorarmos este quesito, por que diabos alguém iria querer "dominar o mundo"? É, parece uma pergunta idiota, mas parei para refeltir sobre a idéia e elaborei algumas hipóteses:


1) Por Megalomania: Impor sua vontade sobre os outros, pelo mero prazer de sentir-se superior. Bem, na prática isso seria muito trabalhoso, pois a menos que você de fato fosse muuuuuito mais poderoso que todos o resto da humanidade junta, jamais conseguiria manter um controle tão severo e eficaz sobre a população mundial. Mesmo que esmagasse qualquer oposição, levaria gerações para incutir uma cultura de adoração e temor à sua pessoa, o que tornaria esta opção inviável no curto prazo.

2) Por Insegurança: fazer com que todos o louvem e o adorem. Ser aplaudido por onde passa, ter as mulheres aos seus pés e estar rodeado de bajuladores. Essa idéia é ainda pior, pois além de ser completamente ilusória (ninguém conquista admiração ou amor através da força) é tremendamente trabalhosa. Eu recomendaria a implantação de um plano de Marketing pessoal agressivo. Com dinheiro se faz milagres é só ver o monte de bundão que temos por aí desfrutando de regalias e sendo invejado pelos outros. Seria uma opção custosa, mas ainda assim mais eficiente do que a conquista mundial.

3) Por Filosofia Absolutista/Autocrática: moldar o mundo conforme sua ideologia/utopia. Essa me parece a explicação mais "lógica" (se é que isso é possível). Pode não ser fácil, nem democrática, e com certeza irá se desfazer assim que o sujeito bater as botas (vide que nenhuma ditadura tem vida longa depois que o pai da criança abotoa o paletó de madeira) e a ordem natural se restaurará. O único sujeito que se aproximou disso foi Jesus Cristo, que pelos relatos históricos nunca usou de força para influenciar seus devotos e ainda assim muitas de suas idéias foram deturpadas ao longo dos séculos. Eu daria a sugestão de fundar uma seita, realizar shows, transmitir mensagens de auto-ajuda e aproveitar para arrecadar uma graninha com "doações" dos fiéis. Ops, acho que já estão executando idéia por ai...
Não consegui pensar em nenhuma outra razão pela qual alguém poderia querer tomar a Terra. Pelo menos não alguém terráqueo. Alienígenas sempre tem motivos especiais (seja pelo interesse de explorar algum recurso natural ou pelo simples desejo expansionista de algum império galático), mas daí seria um exercício de reflexão muito complexo tentar entender como funciona uma mente extraterrestre.

à medida que vamos amadurecendo, começamos a ver o quanto estes personagens com pretensões ditatoriais são vazios, e começamos a perceber que os "malvados" mais interessantes são justamente aqueles que possuem motivos "nobres" para agirem como o fazem. O Maniqueísmo vai se dissipando e com exceção de psicopatas, não existem vilões inteiramente maus, nem heróis de mãos limpas. Talvez só através de muita refelxão e filosofia seja possível enxergar a verdadeira bondade, e que esta nasce da inteligência e da sabedoria. Talvez seja por isso que os mocinhos geralmente se dão bem no final...

Alguém já pensou no que faria de dominasse o Mundo?

Voltando ao assunto futebol, o Autor percebeu que todos os 4 campeões do mundial da FIFA venceram o torneio fardando uniformes inteiramente brancos nas finais. Será só uma coincidência?


15 de dezembro de 2007

Comunicação

Pode parecer piada, sei que acabei de declarar que não mais iria falar sobre relacionamentos por um tempo, mas o vídeo que encontrei me fez mudar de idéia...



Viram só? até os Alienígenas da Vila Sésamo reconhecem a importância da comunicação em qualquer tipo de relacionamento...

Quando era ainda menor do que já é, o Autor gostava de assistir Vila Sésamo. Seu personagem preferido era aquele magrinho rosinha, do qual não se lembra do nome no momento.


Livros

Estou de volta, e agora de férias estudantis (no serviço a batalha continua). Não imaginava que esses gráficos a respeito de relacionamentos dessem tanto "pano pra manga". Aproveito para agradecer àqueles que comentaram e ajudaram a fazer deste blog um espaço para debates sadios.

Embora seja gratificante postar sobre assuntos que aticem o público, não pretendo saturar o assunto "relacionamentos" aqui no blog. Oxigenar o ambiente sempre é bom, e com o "vasoruim" não poderia ser diferente. Para tanto, lhes trago um novo tópico: múltiplas inteligências.

Ontem comprei um livro que se chama: "Cinco mentes para o futuro", de Howard Gardner. Sempre escolho meus livros pelo que extraio do índice. Dependendo da forma como os tópicos estão organizados, e sobre o que tratam, posso avaliar se acharei interessante ou não a publicação. O livro discorre sobre formas diferentes de inteligência. Sempre me interessei por neurociências e creio que são um complemento para a filosofia. Prometo escrever uma avaliação do livro assim que o ler!


O Autor adora livros que possuem figuras e desenhos, mas infelizmente por conta de preconceito (acham que é coisa de criança) poucos livros se dão o trabalho de ser ilustrados. Felizes são as crianças! :P


14 de dezembro de 2007

Solidão

Só para não passar o dia em branco, aí vai mais um ditado:


"SE VOCÊ ESTÁ SE SENTINDO SOZINHO, ABANDONADO, PENSANDO QUE NINGUÉM LIGA PARA VOCÊ... ATRASE UM PAGAMENTO!"


Pague o Aluguel!

O Autor não possui contas fixas para pagar...

13 de dezembro de 2007

Versão Pessoal

Após ser questionado por muitos leitores, decidi publicar um gráfico do que considero um relacionamento perfeito para MIM. É importante ressaltar que o gráfico anterior era uma referência do que eu entendo ser um relacionamento saudável para um casal qualquer, e não necessariamente se aplicava a este que lhes escreve.


O Autor se reserva ao direito de permanecer em silêncio desta vez... para refletir com calma.

12 de dezembro de 2007

Beleza é sempre bom?

Desprovido de pescoço, olhos empapuçados, pele rosada e de textura macilenta, corcunda, nanico, obeso, capenga (usuário de muletas como bengala), adepto moderado da calvíce e provável usuário de dentadura.

Essa é uma descrição no mínimo bondosa da criatura que encontrei nesta manhã na parada do ônibus. Enquanto esperávamos a chegada do trasporte público, o universo de certo abalado com a concentração de tamanha feiúra num mesmo local, começou a se mexer. Desse movimento, como que numa compensação divina, algum Deus encaminhou para nossa parada um linda moça. Compleição delicada e proporcional, rosto simetricamente perfeito, sorriso encantador, chamá-la de bela seria um eufemismo. Enfim, ela era inversamente proporcional a toda repugnância que meu companheiro de parada comportava.

Não descrevi todos esses adjetivos para elogiar a bela dama da parada, nem para tripudiar sobre a aberração decadente que portava uma muleta. O que de fato me chamou a atenção foi que, ao chegar na parada, a Moça automaticamente roubou por completo a atenção do decrépito senhor que ali estava (ok, também me chamou a atenção, mas nem de longe como o fez com meu colega). Fiquei até constragido pela forma como o senhor a encarava, olhando de cima a baixo enquanto rulminava algo que eu acredito fosse sua dentadura, escaneando a moça, sem qualquer pudor. Prontamente a jovem deu um passo para trás, discretamente fugindo da vista do decadente ser.

Esse acontecimento me atentou para o preço da beleza. Em geral, a sociedade valoriza muito o lado estético, e muitas pessoas buscam a qualquer custo melhorar sua aparência. Mas precenciando aquela situação, me dei conta de que existe outro preço que se paga pela beleza. A idéia da perfeição física está atrelada à capacidade de atrairmos os outros certo? Naquele momento a beleza estava atraindo uma criatura repugnante. Como sei que meus poucos leitores são bem apessoados e "ladrões e ladras de olhares por ai a fora", talvez não percebam, mas para nós "esteticamente incapazes", é difícil de pensar na beleza como algo que possa trazer infortúnios.


Ao contrário do que este post indica, o Autor não julga as pessoas pela beleza, porém não admira a desistência por uma vida minimamente saudável.

11 de dezembro de 2007

Natal vs Ano Novo

  • Trajes brancos ou velhinhos barbudos com gorros vermelhos?
  • Contagem regressiva ou desembrulhe de presentes?
  • Brindes com taças de champagne ou panetone com peru?
Vou ser direto desta vez: detesto o ano novo, ou melhor, a palhaçada que chamam de "virada" ou reveillón. Desde que me conheço por gente me pergunto: o que diabos as pessoas tanto comemoram as "entradas de ano"? convenhamos, é mais um dia normal, como os outros 364 que se passaram e ninguém soltou fogos. O pior de tudo são as promessas: "neste ano que chega prometo fazer exercícios todos os dias", ou "este é meu último cigarro" "minha última fatia de bolo"... Fala sério!!!
Talvez o pior seja assistir pessoas dando pulinhos e realizando simpatias para que o ano vindouro seja mais feliz, ou traga dinheiro e saúde, ou mesmo uma "grande paixão" como se fosse mágica. Depois ao longo do ano não movem um mísero dedo para que algum de seus desejos se realizem, e ainda têm a cara-de-pau de culpar a sorte por tê-las abandonado.


Em contraparte o Natal sempre me trouxe esperança. Mesmo sem ser católico, adoro planejar e fazer listas para ajudar o "papai Noel" a trazer os presentes certos em seu trenó. Ouvir aquelas musiquinhas natalinas (sim, muitas delas começam a tocar na minha cabeça 2 meses antes do dia 25/12) e montar uma arvorezinha tosca e de plástico... Sem contar que, por estarmos nos trópicos, não temos neve... (ah, neve... volte pra mim) imaginem só, eu sei que isso é fruto de uma mente "colonizada" por europeus, mas Natal com neve é MAIS Natal. Ainda tem aqueles biscoitinhos de ló, em feitio de estrela, boneco de neve, etc cobertos com açucar colorido. Como alguém pode em sã consciência preferir o reveillón?



Para o Autor uma data comemorativa que pode ser chamada de "virada ou entrada de ano" não pode ser merecedora de muito respeito.

Contos do DAER: o Freezer de Pandora!

Estou inaugurando uma nova "seção" aqui no blog: os contos do DAER. Para os desavisados, a PGE está de mudança para o prédio do DAER (Borges de Medeiros n.º 1555, 18º Andar - venham nos visitar!) e gradualmente estamos nos habituando ao novo local. No entanto como todo prédio antigo, ele possui várias particularidades e curiosidades que vamos descobrindo aos poucos. É justamente a respeitos destas peculiaridades que estarei escrevendo aqui. Abaixo segue o primeiro conto:
O FREEZER DE PANDORA
Muitas eras atrás, quando o homem ainda louvava Deuses pagãos, .... Havia uma jovem curiosa, chamada Pandora ("bem-dotada"). Ela foi a primeira mulher, criada por Zeus como punição aos homens pela ousadia do titã Prometeu em roubar aos céus o segredo do fogo. Em sua criação os vários deuses colaboraram com partes; Hefestos moldou sua forma a partir de argila, Afrodite deu-lhe beleza, Apolo deu-lhe talento musical, Deméter ensinou-lhe a colheita, Atena deu-lhe habilidade manual, Poseidon deu-lhe um colar de pérolas e a certeza de não se afogar, e Zeus deu-lhe uma série de características pessoais, além de uma caixa, a caixa de Pandora.


Segundo a lenda grega, Prometeu criou o homem de argila e roubou a chama sagrada de Hélio (Deus Sol) para dar-lhe o sopro da vida. O intuito era criar um ser que ajudaria a cuidar de sua mãe Gáia (Terra). O homem, porém, também era imortal e assexuado, reproduzindo-se de forma rápida. Por ordem de Zeus, Prometeu foi preso e condenado a ficar acorrentado no alto de uma montanha, onde todos os dias um corvo gigante vem comer-lhe as vísceras que são regeneradas à noite, ficando fadado a sentir dores por toda eternidade. Antes, porém, ele deixou uma caixa contendo todos os males que poderiam atormentar o homem com seu irmão Epmeteu, pedindo-lhe que não deixasse ninguém se aproximar dela. Os homens começaram a desvastar a Terra e, a fim de castigá-los, os deuses reuniram-se e criaram a primeira mulher, a qual foi batizada como Pandora e incumbida de seduzir Epmeteu e abrir a caixa. Naquela época os deuses ainda não moravam no Olimpo mas em cavernas. Epmeteu colocara duas gaiolas com gralhas no fundo da caverna e a caixa entre elas. Caso alguém se aproximasse, as gralhas fariam um barulho insuportável, alertando Epmeteu. Seduzindo-o, Pandora conseguiu convencê-lo a tirar as gralhas da caverna sob o pretexto de que tinha medo delas. Após terem se amado, Epmeteu caiu em sono profundo. Pandora foi até a caixa e a abriu: um vortéx de males tais como mentira, doenças, inveja, velhice, guerra e morte saíram da caixa de forma tão assustadora que ela teve medo e fechou antes que saisse a última delas: o mal que acaba com a esperança.

Após tomar consciência do grande erro que cometera, Pandora solicitou ao irmão, "Frijidaer" que forjasse a caixa num objeto que jamais homem algum voltaria a abrir. Como naquela época os alimentos das colheitas era farto e não haviam produtos congelados, "Frijidaer" moldou a infame caixa no formato de freezer. Para evitar que curiosos seguissem o caminho de sua irmã, preocupou-se que o freezer fosse acompanhado de uma geladeira (dessas 2 em 1), sendo sua porta maior e de fácil uso, além da possibilidade de ser usada para guardar guloseimas e refrigerantes, além de frutas e outros alimentos. Ainda com seu último suspiro de vida, após tamanho esforço, deu seu próprio sangue, que misturado ao aço forjado tornaria a porta do freezer lacrada a ponto de que nem a força de Hércules em pessoa a pudesse violar. Após sua morte, outras pessoas de bem ergueram uma grande construção, que permaneceria desabitada (exceto por algum fantasmas e servidores) para que a civilização esquecesse o Freezer em suas entranhas.

Hoje esta construção é usada pelo Estado do RS como sede do DAER (departamento autônomo de estardas e rodagens), e tudo correu bem ao longo dos anos. No entanto, com a invasão dos servidores da PGE (procuradoria-geral do estado), o freezer foi novamente descoberto. Um curioso jovem por muito pouco não incorreu nos passos de Pandora, detendo-se no último segundo ao lembrar-se da antiga lenda. Por ora o freezer permanece intacto... mas até quando? alguém novamente abrirá o recepiente que contém o fim de toda e qualquer esperança para a humanidade? será que homem algum poderá seguir de pé sem esperança???

Amante de Mitologia, O Autor gosta bastante de escrever bobagens. Embora o mito original tenha fortes semelhanças com o conto de Adão e Eva (igualmente machista) o Autor reconhece que em muitos momentos são as mulheres que esvaziam o coração dos homens de qualquer esperança.

9 de dezembro de 2007

Nova Enquete!

Pessoal, não faz muito tempo eu tive uma discussão aqui em casa a respeito de meninas e calças brancas. Na época minha mãe havia comprado uma calça branca e eu larguei o comentário: "Hummmm... calça branca é? mas que safada!" Logicamente a calça em questão era bem comportada e folgada, mas minha mãe prontamente rebateu: "e qual o problema com calça branca?" Duh! nem a minha ingênua irmã se deu conta, mas é de concenso geral entre aqueles que mijam de pé que calças brancas (em geral colantes) são "ladras de atenção". Se não acreditem, só no orkut existem 88 comunidades dedicadas ao assunto.



Antes que alguma menina me xingue: Não acho que todas meninas que usem calças brancas sejam vulgares, atrevidas ou exibidas... Não sei explicar com exatidão, mas uma mulher trajando uma calça branca, em geral justa ou pelo menos apertada, salienta suas "curvas" (sejam elas do bem ou do mal), e conseqüentemente atraem os olhares masculinos. Assim como vestidos pretos são "básicos" calças brancas são... "faceiras" por assim dizer. Já ouvi até cara dizer: "Calça branca fica gostosa até pendurada no varal!". Talvez seja pelo fato de as vezes exporem a marca da calcinha, ou por refletirem mais luz... não sei...

Mas, se nem toda menina que veste uma calça branca é safada, garanto que toda menina que É safada, já vestiu uma calça branca... bem apertada... :P



Se tivesse uma filha, o Autor não gostaria que ela passeasse por ai em calças brancas... hehehe (brincadeira, o Autor é bem tolerante com safadezas... quer dizer, calças brancas... quer dizer... ah, deixa pra lá)



Sol na moleira

Hoje fui ao clube (sou sócio do União) e na saída resolvi descansar antes de voltar correndo pra casa. Pensei comigo: "bem, porque não deitar um pouco nas cadeiras em torno das piscina e pegar um pouco de sol? Afinal, deve fazer bem pra saúde."


Quando cheguei nas cadeiras ainda me surpreendi: "opa, além de descansar tem lindas meninas se bronzeando, não esperava por esse extra, hehe!" infelizmente o sol que reflete no piso claro é tão forte que tive de usar minha camisa pra bloquear a luz e conseqüentemente qualquer "bela vista" que o local oferecera.

Voltando ao cerne do texto, definitivamente eu não podia estar mais errado: o sol faz um mal danado pra saúde! É, reconheço que corpos devidamente bronzeados são bonitos, que o sol na medida certa traz benefícios pra pele, etc e tal... mas em compensação... pelos deuses, deve torrar os miolos das pessoas. Afirmo tal coisa baseado nas conversas que ouvi enquanto estava descansando... cada papinho... olha, sei que haviam mauricinhos, patis e outros dessa laia, mas eles estavam se esforçanco... Não aguentei mais do que 10 minutos, peguei minha camisa e larguei fora, vai que o sol me danificasse os neurônios... ainda preciso deles mais do que as menininhas precisam dos seus corpos bronzeados... hehehe


O Autor além de admirar mais meninas com a cútis ao natural recomenda aos leitores que não esqueçam de seus protetores solares neste verão! De camarão basta minha irmã por aqui.

Receita para as Bodas de Ouro

Seguindo minha linha de raciocínio, tentei representar em números os Ingredientes e suas contribuições para o que penso ser um relação harmoniosa para um casal:


















  • Comunicação e Sinceridade: 30%
  • Afinidades ou Interesses em Comum: 14%
  • Independência e Individualidade: 13%
  • Companheirismo: 12%
  • Admiração Pessoal: 12%
  • Atração Física: 11%
  • Sexo: 9%

Posso vir a alterar as porcentagens, mas essa é minha atual posição perante o assunto.

O Autor penou para transportar o gráfico do Excel para o blog. Alguém poderia ajudá-lo explicando como se salva um gráfico do excel em formatos como "gif" ou "jpg" sem precisar usar o paint brush?


7 de dezembro de 2007

GTA 4

Esse post é destinado exclusivamente aos marmanjos que estão aguardando o seu PS3 ou XBOX 360:



O Autor já está juntando din-din para tornar este sonho realidade...

6 de dezembro de 2007

Arquiteto da Paixão!

Hoje eu vi nos olhos de um dos meus grandes amigos sentimentos que eu sempre temi vivenciar. O trauma decorrente do fim de um relacionamento costuma ser proporcional ao tempo que ele dura. Aos meus olhos, um relacionamento sadio tem na essência o companheirismo como base e o respeito ao individualismo como sustentação.

Não mencionei termos como sustentação ou base a toa. Quem conversa comigo sabe o quanto faço uso de metáforas para ilustrar meus estranhos pensamentos. Ao olhar nos olhos do meu amigo, que teve seu relacionamento de longa data encerrado faz poucas horas, senti como se a edificação que ele construiu com a ex-companheira para abrigar seus sentimentos desabar. É lógico que não vou simplificar os acontecimentos, até mesmo por ignorância de como o rompimento aconteceu, comparando-os com uma casa. Outros elementos como admiração (tanto intelectual como física), afinidades e cultura fazem parte da "argamassa" do amor.

No entanto o olhar que presenciei no meu amigo era semelhante ao de uma vítima de desmoronamento ou algo do tipo. Uma pessoa que viu seu lar tombar de forma inesperada, levando consigo todo o conforto e segurança que provia. A sensação de que o desastre lhe tirou tudo... alegria, esperança, segurança... deixando a vida "sem sentido"... como é difícil dar apoio nestes momentos, qualquer palavra dita soa como um amparo de isopor... quase falsa como uma cadeira naqueles episódios do chapolim no velho oeste.

A situação não apenas me comoveu, como reforçou meu medo em arriscar a construção de um relacionamento. Sei que não se deve viver pelo medo, e que qualquer experiência sempre nos amadurece... ainda assim temo pelos olhos vazios de um fantasma. Será um preço justo a se pagar por alguns momentos de conforto e pela ilusão de que não somos realmente sozinhos?

Na vida o que não é passageiro é motorista ou cobrador. Como o autor não trabalha na Carris, se assusta com os sentimentos alheios que passam pela roleta e descem na primeira parada!


Relacionamentos

Acabei de assistir ao filme "o virgem de 40 anos", e dei muitas risadas! (já aproveito para recomendar para quem não o viu) Sou um admirador do amor "platônico" faz tempo, e alguns trechos do filme ainda estão ecoando na minha cabeça. O quanto o sexo deve pesar em um relacionamento? obviamente é difícil medir objetivamente, mas fica a pergunta...

abaixo fica um dos melhores trechos da película (tenho de experimentar esta técnica!):



O Autor sabe que poucas pessoas irão comentar (menos ainda que a média, hehe) pois sexo é sempre um assunto delicado, pessoal e revestido por um certo tabu na sociedade.


5 de dezembro de 2007

O Pelé de Taquari!

Ontem recebemos a visita de um procurador aqui na sala, daqueles carentes que fala pelos cotovelos... Ele passou quase 1h inteira trovando a minha chefe! Como sento próximo, ouvi a maior parte da conversa. A parte que mais me fez rir foi quando ele contou como jogava bem futebol!

-"Se na época o futebol desse dinheiro como dá hoje, eu teria seguido carreira..."

-"... nosso time no escritório jogava muito, ganhamos de todo mundo lá em Taquari..."

-"...cheguei a ser convidado para fazer testes na dupla gre-nal, mas não me interessei..."

Enfim, nada contra o sujeito, bastante amigável por sinal (embora terrivelmente enfadanho) mas fiquei pensando: só falta ele se auto-proclamar como o "Pelé de Taquari"! hahahaha

Bem, qual a moral dessas bobagens afinal? Será que o Eduardo só escreve m#*$@ porque não tem mais o que fazer? Não, caro(a) leitor(a), a questão central reside na lenda dos inúmeros Pelés que poderiam ter sido... Quem já não ouviu uma historinha dessas alguma vez? de algum moleque que arrasava dentro das 4 linhas, mas que não vingou por algum determinado motivo.

Sem querer "babar o ovo" do Rei, mas para ser o Pelé de algum lugar o sujeito deve realizar alguma coisa... e não apenas "ensaiar ser o tal"... Por isso que eu digo... Pelé de Taquari o cacete, ele tava mais pra "Arinelson de Taquari"! hahahaha!

Só faltou o cara dizer que marcou um gol como esse do Didi:




O Autor reconhece que este post foi um mero artifício no intuito primordial de trazer o vídeo do Didi cobrando o escanteio e cabeceando para fazer o gol! (a idéia original era postar o vídeo do Pelé cantando ABC de suspensórios, mas não achei o vídeo no youtube).


4 de dezembro de 2007

Solidariedade

Ausente há duas semanas, retorno com a premiação aos leitores mais assíduos e criativos!

Em primeiro lugar quero corrigir uma grande injustiça com a Carol (estagiária mestra dos pontos) por ainda não ter recebido uma homenagem aqui mesmo depois de inúmeros comentários. Atualmente sem internet no lar, ela apenas lê o blog quando encontra algum raro momento de folga no serviço. Aproveito e já presto minha solidariedade por conta da extração dos cisos à qual deve estar se submetendo na próxima semana. Força Carol!

Como não poderia esquecer, vou deixar aqui um enorme abraço, tanto por saudades como por agradecimento ao apoio que tenho recebido da Pituia! Entre uma mustang estacionada e uma fralda trocada, ela sempre encontra um minutinho para comentar!

Para completar minha redenção com os leitores, também quero agradecer aos meus incríveis amigos e colegas de serviço, Carolina e Henrique por suas sábias observações aqui no Blog, torço para que continuem comentando cada vez mais!

Eu também ia homenagear a minha querida Crix. No entanto, por conta do Tricolor pelo qual ela é doente, vou adiar a homenagem , para ver se ela volta a postar com maior assiduidade e considere meu convite para participar do blog. (além de não ficar trocando o endereço da página dela só pra me dar o trabalho de atualizar nos meus links) :P Abaixo segue meu vídeo de homenagem à Carol e Pituia (gostaria que também fosse para o Lyllones, mas ele ainda nem comentou):



O Autor continua esperando que as colegas Iashmin (para quem não conhece, é a menina do malote lá no DA) e Nathália (menina do xerox das Finanças) contribuam com algum comentário!


Vovozinha o escambau!

É com enorme prazer que anuncio uma nova leitora em potencial do blog: minha avó! Ao contrário da caricatura acima, minha vó é uma mulher muito sofisticada e moderna. Fiquei sabendo por intermédio de minha mãe que, hoje mesmo, ela acompanhou a Dna. Daysi na compra de um laptop! Já faz algum tempo que venho batalhando para que ela ingresse na era digital... inclusive já havia me disposto a comprar-lhe um desktop do meu próprio e raso bolso, porém minha proposta esbarrou na rejeição visual que minha vó tem aos gabinetes de desktops.

Muito bem, agora de posse de uma arrojada e compacta máquina (ainda não chequei as configurações, mas imagino que lhe faça justiça) espero que ela possa participar do blog, comentando e dando palpites, como ela faz diariamente aqui em casa. Navegar pela internet vai abrir muitas portas que minha vó nem imagina, e tenho esperança de que ela tome gosto pela brincadeira e faça bom uso desta nova ferramenta!



A mãe da mãe do Autor já esta na casa dos 70 anos, mas faz exercícios diariamente e ostenta um corpinho de 40, esbanjando saúde e disposição. A única crítica do autor reside em seu abandono no ato de presentear o neto.


3 de dezembro de 2007

Eu vivo por TI

Eu havia prometido não falar mais sobre futebol neste ano, mas não me contive:



Ontem, não foi o Corinthians que foi rebaixado, mas sim a série A.

Um time que causa tamanha emoção em nas torcidas rivais, e mesmo naquelas que não tem qualquer relação, apenas demonstra sua grandiosidade. Capa dos jornais de TODOS jornais regionais no País e FORA dele não é para qualquer um.

O único clube que divulgou uma nota oficial de apoio ao Corinthians, foi único que novamente mostrou ser tão grande quanto o alvi-negro paulista: obrigado Flamengo! Torcer por apenas um deste clubes já é uma dádiva. Torcer por ambos é transceder o amor. Grandes clubes, temos muitos por ai. Gigantes, apenas dois.




e para aqueles que são anti-corinthianos:

Voltaremos!

O Autor sabe que não existe derrota grande o suficiente que derrube o povo.

Pena de Morte


Ao contrário do que parece, não vou adentrar a recorrente discussão em torno da adoção de tal medida ou não. Acontece que hoje, enquanto almoçava meu sanduíche, presenciei uma cena que me tocou:

Uma aranha estava imobilizando uma formiga. Embora as dimensões das criaturas fossem deveras diminutas, o sentimento e dúvidas que me tomaram eram inversamente proporcionais. A aranha dava voltas em torna de sua vítima, enrolando-a com os fios que tecia num ritmo tão frenético quanto ao da formiga que se debatia, em vão, para soltar-se de tal artimanha. Fiquei observando enquanto as forças da formiga se esvaíam, suas frágeis pernas não conseguiam se livrar dos fios de teia, e para cada fio que ela vencia, a aranha a enrolava com 2 mais.

Enquanto presenciava o combate, me passou pela cabeça: devo interferir? com o menor dos esforços eu poderia salvar aquele pequeno inseto e frustrar as ambições de banquetear-se do aracnídeo. Se eu tomasse tal decisão, estaria interferindo na ordem natural dos acontecimentos... a Aranha, afinal de contas, estava capturando sua presa com méritos, apenas seguindo as leis da natureza. Seria minha ação justa? com qual direito eu poderia influir no destino?

Como posso salvar a vida da formiga, se na mesma lógica, sou contra a pena de morte? Se não valido as ações de outrem para encerrar a existência de um criminoso, como posso escolher se a formiga deve ou não viver? afinal, elas estão seguindo o curso natural da vida...

Enquanto elaborava estes vãos devaneios, o inseto já tomabara a mercê de sua predadora... seus movimentos já não tinham amplitude alguma, restritos naquela seda mortal. Como que os espasmos de um moribumdo, ainda era nítido que tentava se libertar... Se eu não encarasse a escolha que me torturava, seria tarde de mais para a formiga e para mim mesmo.

Tenho uma natural simpatia por aranhas. Algumas representantes da classe vivem em harmonia no meu quarto. Não, calma, meus aposentos não estão tomados por curtinas de teias e poeira, eu meramente deixo que alguns aracnídeos morem nas quinas do teto, caçando mosquitos e outros insetos irritantes, como que num acordo implícito firmado por ambas as partes.

Eis que o impulso heróico brotou no meu ser e com um suave peteleco afastei a aranha, sem machucá-la, dando uma chance para a pequena formiga. Como que conformado, o aracnídeo se retirou e aguardou, observando de longe o desfecho de minha interferência. Sem receber reforço, a teia que envolvia sua vítima foi cedendo à vontade de viver do inseto. Em poucos segundos a formiga foi se libertando das amarras para erguer-se novamente. Aparentava estar confusa, se perguntando como estava viva, quando antes roçava suas anteninhas nas portas do outro mundo. Uma vez de pé deu algumas voltas, procurando corajosamente por sua então captora, para depois seguir seu caminho.

Quantas vezes encontramos pessoas que podem nos abrir as portas quando não vemos saída?Continuo me perguntando, com que direito intervi? Fiz a coisa certa? pode ter sido uma pequena ação, mas uma árdua decisão...


Se interferi a favor da vida, porque não interferir a favor da morte?

O autor, contrário à pena de morte, acredita que existem linhas das quais nunca devemos cruzar, pois delas não há volta.

2 de dezembro de 2007

Amadurecimento?


Lá vou eu fazer outro vazio exercício de reflexão que a nada leva, a não o esgotamento do meu rarefeito intelecto: o que é AMADURECER?

Se considerarmos a visão clássica de "ganhar experiência" de vida, poderíamos associar o amadurecimento à idade. No entanto, conheço jovens que são muito mais maduros do que idosos... a meu ver pondo por terra este raciocínio.

Talvez amadurecimento esteja vinculado à insegurança. Como uma forma de não assumir responsabilidades ou encarar a vida de forma mais leve, sem se preocupar com as conseqüências de suas ações. Entretanto já percebi pessoas muito maduras que possuem grandes inseguranças, assim como imaturos que ostentam uma segurança inabalável.


Derrubadas estas teorias, ou idéias vigentes na sociedade, darei meu pitaco: creio que amadurecimento seja diretamente proporcional à capacidade analítica. O poder de observação e conseqüente crítica conduz um processo de construção das idéias que ilumina novos caminhos. Saber perceber como se dá o comportamento do eu e de outrem possibilita uma reengenharia dos sentimentos.

Se minhas idéias tiverem fundamento, logo o amadurecimento não é algo que se adquire com o tempo, mas sim algo que se aperfeiçoa. O imaturo de hoje será o imaturo de amanhã. Experiências marcantes podem mudar padrões de comportamento, mas não a essência de uma pessoa, de tal forma que o amadurecimento não deve se confundir com experiência. Amadurecimento é a sabedoria pessoal, a capacidade de sobrepujar seus sentimentos mais fortes e impulsivos, sem deixar de viver as emoções que de fato trazem benefícios à longo prazo.

Ao contrário do que o texto indica, o Autor é 100% imaturo e quase nunca mudou de opinião. Justamente por estar "morto por dentro", ele alerta que a busca por amadurecimento pode resultar em apodrecimento, recomendando que esqueçam as baboseiras que aqui registra.