24 de março de 2008

Judas saradão

Um post ainda sobre "reflexões acerca da Páscoa". Ontem, eu estava vendo o noticiário e passou uma reportagem sobre "a malhação de Judas" no Brasil.

Malhação de Judas ou Queima de Judas é uma tradição vigente em diversas comunidades católicas e ortodoxas que foi introduzida na América Latina pelos espanhóis e portugueses. Consiste em surrar um boneco do tamanho de um homem, forrado de serragem, trapos e jornal, pelas ruas de um bairro e atear fogo, normalmente ao meio dia. Cada país realiza a tradição de um modo, alguns queimam os boneco em frente a cemitérios ou perto de igrejas. No Brasil, é comum enfeitar o boneco com máscaras ou placas com o nome de políticos, técnicos de futebol ou mesmo personalidades não tão bem aceitas pelo povo. (Fonte: Wikipedia)

O que me espanta é o encorajamento à violência. "Vamos lá crianças, tem boneco pra todo mundo dar pau!" é saudável? Acredito que práticas de artes marciais, boxe (até o meu Body Combat, hehe) auxiliem as pessoas a relaxarem. No entanto, acho desnecessário para CRIANÇAS esse incentivo à violência gratuita. Acho anti-pedagógico e de caráter deturpador de valores (tais como a compaixão e o perdão).



Além disso, temos a questão das virtudes. Não diz a prece "Perdoai nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos tem ofendido"? Não somos incentivados por Deus a perdoar, ao invés de sair batendo simbolicamente em bonecos, expondo nossa raiva e rancor (injustificados, porque acredito que o pessoal vai lá pela porradaria, e não pela fé)? Tá certo que Judas é o ícone da traição a Jesus, e por conseqüência, à Igreja Católica. Mas se Ele o perdoou, quem somos nós para atirarmos pedras no "traidor"?

Ensinemos as nossas crianças o valor do perdão, para que no futuro, elas não saiam "caindo no pau" por qualquer briguinha ou discordância. É aí que nasce a violência social e reside a involução humana. E se há algum sentido na Páscoa, além da permuta de chocolates, que seja o de refletir a respeito da bondade e da fraternidade.



A Autora assume que já foi muito rancorosa - e ainda reconhece ser, mas bem menos! Porém, aos poucos, está tornando-se uma pessoa mais compreensiva, tolerante e capaz de desculpar os erros alheios - que muitas vezes ela mesma já cometeu ou há de cometer.

4 comentários:

冬天。。。 disse...

Hauhauhauhauhau! Quando li o título não entendi bem... muito boa... Judas saradão... aliás, as rianças na foto estão espancando um boneco né? (que hábito pouco sadío) Aliás me veio a cabeça que tu deve curtir esse Judas né? afinal ele tem fama de malvadinho e ainda por cima saradão... deve ser "bicepudo"...

Anônimo disse...

e judas virou pichorra

Hadassa disse...

Concordo plenamente com o post! Além de ser uma prática descaradamente anti-pedagógica (por despertar a agressividade intrínseca às crianças), é também uma apologia à violência e a raiva. Cristo, o Verdadeiro sentido da Páscoa, certamente faria diferente. Está certo que é apenas um boneco, mas a prática do "linchamento coletivo" não teria razão de existir se houvesse de nossa parte um pouco de perdão e auto-exame. Quem estiver sem pecado que seja o primeiro a atirar a pedra, ou amordaçar o coitado do boneco. Sem falar na importância que Judas teve no processo de redenção do mundo. Aliás, por propósito de Deus, pois Cristo não foi cruficidado por força do destino ou da traição, mas por propósito de Deus e vontade de obedecê-Lo. Ele disse que ninguém tiraria Sua vida, mas que Ele a daria espontaneamente.

Que o significado da Páscoa possa ser conhecido por todos: o sofrimento de Um, no lugar de todos, uma vez por todas. Yeshua Ha Mashiach! (Jesus é o Messias).

Hadassa (hadassamanna.blogspot)

Carolzinha disse...

Dani, mto bonito e bem escrito o teu post, concordo plenamente. Mas pra falar a verdade, não conhecia essa prática. A foto de Jesus também estah linda.