19 de novembro de 2007

Juros

Aqui vai uma tentativa de analisar um elemento do mundo financeiro sob a ótica da Psicologia:


Juros = Urgência

Urgência = (ansidade x necessidade)


Logo, se o consumidor conseguir eliminar a ansiedade no processo de compra, reduz a urgência com que efetuará a compra, em caso de parcelamento do pagamento. A necessidade não tem como ser eliminada, pois é fator base da equação. Sem necessidade, não há força geradora para a compra parcelada.

4 comentários:

lucas disse...

E tu quer que as pessoas comentem no teu blog ainda!!!!

Carolzinha disse...

Sinto muito...no meu caso, a única maneira de fazer com q eu pare de consumir desesperadamente, é me encerrando em uma masmorra.
Bjs...até o próximo post.

Krol disse...

Vou te apresentar pra uma amiga que já ultrapassou todos os limites financeiros possíveis...

Camilo Thudium disse...

-

Segundo Keynes, a taxa de juros é definida em função da eficiência marginal do capital (EMgK), de forma que capte, realmente, a "ansiedade" da demanda pelo capital. A "ansiedade" é, nas palavras de Keynes, o "Animal Spirit" dos empresários e capitalistas.

i = f (Md, S, EmgK)

Outras variáveis como Demanda por Moeda (Md) e poupança (S) afinam a função da taxa de juros (i), com o advento da Macroeconomia moderna.

...mas esqueçam de tudo isso. Economistas sempre acham tudo relativo.

Um grande abraço.

-