12 de novembro de 2007

Tropa de Elite

Finalmente consegui assistir ao tão comentado Tropa de Elite e posso afirmar com segurança: correspondeu por completo minhas expectativas. Digo isso com alegria e pesar ao mesmo tempo... "Mas como assim pesar? o filme não é bom?" e eu respondo: "SIM, é excelente, mas salienta uma porção de problemas que não gostamos de enxergar e que incomodam sim Sr..."

Antes de eu começar a minha crítica "pretenso-filosófica-social" assistam a um vídeo para relaxarem:



Pronto senhores, posso revistar suas consciências agora? (aconselho os mais sensíveis e alienados a parar por aqui)...
..............................................................................................................................................................

Bem, pra quem continuou: PERDEU MOLEQUE! bem, tecnicamente o filme tem um excelente roteiro, bem costurado, com personagens interessantes e envolvente, eventuais cenas de humor (talvez humor negro, mas ainda assim humor) e muita ação. Aliás, minha única crítica talvez seja referente aos momentos de adrenalina no filme... o cinema nacional (estou generalizando) ainda não encontrou bem um estilo de câmera que me agrade... os filmes não precisam ser parados, tomados de pontos de vsita fixos (aqueles que dão sono), mas também não precisam balançar como se os cinegrafistas fossem de gelatina... esse lance de câmera "tremida" não confere necessariamente dinâmica às cenas, é um recurso que deve ser explorado com moderação... caso contrário irrita e força a vista do pobre espectador (além de bagunçar a cena e comprometer a beleza da ação).

Bem, desculpem minha pretensão na análise técnica... não sou cineasta, nem muito entendido do assunto, mas tenho uma noção mínima por já ter estudado um básico de cinema. Agora o importante: saí do filme indignado... e mais convencido do que nunca de que as drogas DEVEM ser legalizadas. Antes de mais nada: sou um sujeito que nunca fumou qualquer tipo cigarro ou derivados, nunca cheirei nada que não fosse perfume de menina bonita e por incrível que pareça, nunca consumi qualquer tipo de bebida alcólica (nem sequer champagne). Resumindo: me considero mais do que numa posição moral limpa para fazer essa afirmação a respeito da legalização. Que me desculpem os moralistas, mas tenho absoluta convicção de que o único caminho para a solução dos problemas apresentados no filme; seja o tráfico; seja a corrupção; seja a hipocrisia social ou mesmo os problemas de segurança no País é a criação de um sistema que conceda liberdade ao cidadão para decidir se ele quer ou não poluir seu corpo e jogar sua saúde fora pelo prazer de um "barato".

Bem, estou com um pouco de sono, então darei seqüência a esta questão mais tarde. Ah, minha irmã tinha comentado que o blog tava uma m$%#@, pois faltavam assuntos polêmicos o suficiente para despertarem comentários... acho que esse post é um bom começo! Ah, e não esqueçam: a promoção contínua!!! vamos lá: comentem!!!

2 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
lucas disse...

O senhor é um fanfarrão seu 24!!!