3 de janeiro de 2008

BBB 8


Ontem foi duvulgada a relação de néscios que habitarão a famosa casa do Big Brother Brasil nos próximos meses. Confirmando a tendência apresentada na última edição, os participantes estão ainda mais "homogeneizados". Todos seguem o padrão "bonitinho, alto, malhado".

Eu seria inocente se não admitisse que o público geral QUER acompanhar a vida de "gente jovem e bonita". A barração de candidatos acima dos 40 anos é a maior prova disto. O que de fato me incomoda é que todos participantes possuem o mesmo perfil. Sei que a intenção é que, por serem jovens e atraentes (há quem discorde), estabeleçam relacionamentos e haja identificação ou formação de grupos. Infelizmente o preço que se paga para testemunhar alguns beijinhos ao vivo é a perda de conflitos de gerações e interações mais interessantes dentre os "brothers". Nas antigas edições também haviam diferenças de classes sociais, com a presença de indivíduos mais humildes, o que gerava alguns comentários interessantes.

Hoje o que resta é praticamente uma reprise de Malhação entre quatro paredes...

O autor confessa que assistiu algumas temporadas do programa, no entanto, sempre observando com um olhar científico o comportamento social dos enjaulados.

2 comentários:

Anônimo disse...

é, discordo radicalmente do "atraentes"

Princesa Isabel disse...

Parabéns pela coragem, autor.

É necessário ver "estas coisas" e dizer que viu para depois comentar e criticar negativamente ou positivamente.

Não podemos simplesmente excluir pessoas, grupos, opiniões só porque é "intelectual" dizer: - isto eu não vejo. O racismo seja por cor, religião, etc... parte deste princípio de exclusão.