10 de janeiro de 2008

Indignação

Acabei de assistir a uma reportagem sobre a copa do mundo de futebol para amputados. Para participar, o jogador deve ser deficiente de uma das pernas (ausência completa do membro) para jogar na linha, ou ser carente de um dos braços para atuar no gol. Tirando a parte tocante da reportagem (parabéns ao Régis Roesing) que versava sobre a superação das dificuldades, o que mais me chamou a atenção (e indignação) foi outro trecho.

Os jogadores, um por um, contaram como ou porque perderam sua perna/braço. Em meio a acidentes de trabalho, 2 deles foram vítimas de ERROS médicos! O goleiro contou que caiu da árvore quando criança e devido ao mal atendimento acabou tendo de amputar o braço! Já o Choquito, meio-de-campo, contou que aos 18 anos sofreu uma fratura durante um jogo de futebol e como resultado de uma imobilização incompetente sofreu gangrena e acabou sofrendo a amputação.

Desculpem o palavrão, mas PQP!!! Eu compreendo que o risco do erro médico exista em operações delicadas e afins, mas em imobilizações de fratura??? É inaceitável que um País que desejar cediar uma Copa do Mundo ou uma Olimpíada ofereça serviços de tão baixo calão aos seus cidadãos.



Ontem o Autor ouviu que ao seu futebol ainda falta força. Ele respondeu que falta apenas desenvolver força, habilidade, técnica e faro de gol para se tornar um jogador completo, hahahahaha...

2 comentários:

Anônimo disse...

como também teve um cirurgião aqui no RS que cometeu suicídio por ter sido condenado pela morte de uma paciente, e há quem diga que não foi caso de erro médico
=|

Krol disse...

Errar é humano, ja diz o ditado, porém, negligência e pouco caso é crime nessa profissão tão importante...