19 de janeiro de 2008

Paixão ou Amor?

Seguindo um conselho de nossa mais nova leitora (obrigado Danielle!) fui espiar o blog do Sr. Paulo Sant'Ana e decidi trazer um post que achei pertinente para alguns debates que andei estabelecendo:

Embora seja concorrente, seria injusto da minha parte não fazer uma propaganda: Blog do Paulo Sant'Ana


Filosofia do amor


Enquanto não me vem o lombinho assado, vou filosofando no guardanapo da mesa da churrascaria.

O amor não resiste a distância nem à proximidade.

A distância gela-o, a proximidade torra-o.

O amor só sobrevive ao frio temperado ou ao fogo lento.

A certeza é avessa ao amor. A certeza só é apanágio da amizade.

A essência do amor é a dúvida.

A segurança é inimiga do amor.

Para que o amor cresça e se incendeie é preciso que ele corra perigo.

No amor, a consciência da posse tem de estar sempre acompanhada do medo da perda.

Só o medo da perda pode levar ao cultivo cuidadoso da posse.

Só o "eu te amo" não basta como lema do amor. É imprescindível o "eu te amo cada vez mais".

Porque o amor é uma sucessão de degraus, é uma escalada incessante.

A estabilidade da paixão redunda em cansaço e fastio, é o fim do amor.

O amor é um rali, uma gincana, um kerb.

Só um Indiana Jones pode enfrentar as sucessivas armadilhas do amor.

Só os fortes amam, os fracos vão sucumbindo.

Exatamente como no vôo persecutório dos zangões na corrida altista da abelha rainha.

Aquele que cansa do amor, desaba das alturas.

Quem não quiser arriscar-se no jogo perigoso que leva às inefáveis delícias do amor, que permaneça no insosso do chão vegetativo.

E os que se verem tentados a amar, saibam que se atiram à glória ou à desgraça.

À felicidade ou ao abismo.

Se houve impacto especial no beijo ou no olhar, não tem mais volta.

......................................................................................................

Na modesta opinião do Autor, o Sr. Sant'Ana mescla e confunde AMOR com PAIXÃO. Ambos são muito bonitos, mas bastante diferentes e não devem ser confundidos, pois são independentes. Cada qual tem suas qualidades, mas a Paixão é repleta de contra-pesos que a tornam intensa, mas superficial e passageira.


3 comentários:

=^.^= disse...

Amei este post :)
Deve ser pq amo amar, embora isto não esteja no momento acontecendo comigo.
Bjos

Luiz disse...

Bom o texto..deve ter demorado horrores o tal do assado do santanna...hehehe!

Danielle disse...

Concordo contigo, numa primeira e rápida lida, não tinha posto meu olhar crítico no "ligado". Agora, lendo com calma, dá pra diferenciar amor de paixão.

Até a parte d'o fogo lento', ele fala de amor, e bem certo. Daí, ele fala das incertezas do amor. No amor, eu vejo segurança; há incertezas, mas, sobretudo, um porto seguro. A essência da paixão, aidna na fase da conquista, é a dúvida. A confiança é amiga do amor, porque, me pergunto, como é possível amar sem confiar no que ou em quem você ama?

A parte do perigo, eu não sou contra. Obstáculos no caminho criam uma tensão, uma saudade, da qual o interesse no companheiro se alimenta. Os romances platônicos estão cheios disso, como prova. Se Romeu e Julieta vivessem felizes para sempre, a graça toda se perderia, eheh. Aliás, todas as novelas globais terminam com o 'FIM' quando os mocinhos se casam, pq o casamento deles deveria ser um porre de aturar.

"Só o medo da perda pode levar ao cultivo cuidadoso da posse." Com certeza. E o amor precisa ser alimentado pela paixão, pra não cair na rotina. A conquista deve ser diária, com pequenas, mas significativas atitudes.

Concordo no ponto em que diz algo como "Tome o risco e aguente o tranco, independente do resultado.", pq afinal de contas, alguma coisa boa vc sempre consegue tirar d'um relacionamento. E sobre o olhar e o beijo, às vezes, podem ser só mais uma paixonite.

Eu, como jovem e "iniciante" na vida, me alimento constantemente de paixões, mesmo que platônicas, e dos amores alheios (livros, novelas, etc.). O amor vem com o convívio, com a maturidade. Creio que já o senti, mas ainda é muito difícil pra mim diferenciar uma coisa da outra.

Tenho que fazer propaganda do teu blog pra ele, agora! ahaha :D E bah, ou ele tava inspirado mesmo, ou o Luiz tava certo... Do lombinho, bom, essa deve ter sido gostoso! nhami :P