26 de janeiro de 2008

Felicidade?

Historicamente não sou conhecido poser uma pessoa muito feliz. Não foram poucas as vezes em que me perguntaram o que me trazia felicidade. Antes de chegar às causas, teria de definir o que É felicidade... É um "estado-de-espírito" ou uma condição? exitem pessoas que SÃO felizes, enquanto que há pessoas que ESTÃO felizes. Esse devaneio me recorda da diferença entre depressão e tristeza. Minha experiência pessoal diz que tristeza é um estado, algo passageiro e conseqüentemente uma condição (suas causas podem ser apuradas superficialmente). A depressão é contínua e residente, não é nada fácil encontrar sua razão de ser. Mesmo quando se "está alegre, ela permanece escondida em algum canto da mente, cochichando no seu ouvido... "estou te vendo... já volto". Acho que matematicamente poderia definir essas idéias da seguinte maneira:


DEPRESSÃO - Estado de alegria = 1 / SER FELIZ - Momentos de tristeza



Voltando à parte positiva, creio que felicidade seja uma combinação de paz interior com satisfação pessoal. Se ligarmos a televisão, qualquer comercial que passar nos dirá que a felicidade está na compra de uma televisão nova, de um apartamento melhor ou mesmo em um pacote de bolachinhas recheadas com um incrível novo corante azul! O consumismo traz algum prazer, não nego. Mas alerto que a felicidade, mesmo que eu a desconheça como natureza, não reside no lazer. Não é ficando em casa e jogando videogame, comendo boa comida, sendo acariciado por uma pessoas que se ama, nem desfrutando de estabilidade financeira que se atinge a felicidade. Sempre imaginei que essa paz e satisfação residisse no encontro de sua função na sociedade. Se sentir útil, fazendo algo do qual se goste deve ser o mais próximo da alegria que o ser-humano pode atingir.


Não estou aconselhando que as pessoas se tornem "workaholics". O lazer é importante para contra-balancear a atividade profissional, só não deve ser encarado como a finalidade, e sim como um acompanhamento. Quando fazemos uma refeição (equilibrada) a sobremesa vem por último, pois os pratos principais são as verduras, frutas, carnes e grãos. Se encararmos a sobremesa como uma "recompensa" acabamos por enxergá-la como um objetivo, o que seria inconveniente. Uma criança logo raciocinaria que quando não tiver de comer brócolis para satisfazer seus pais, poderia passar o dia à base de chocolates e guloseimas. O mesmo vale para o lazer.

O Autor não desistiu de encontrar sua utilidade na sociedade, uma que lhe gratifique e traga a alegria para seu horizonte. Nossa, dessa vez o Autor viajou legal na maionese!

2 comentários:

Luiz disse...

Lendo o blog atrasado e em carreta...hehe! sobre a altura... nao acho que tenha muita influencia no relacionamento! o que importa é a altura dos papos da pessoa.......

Por falar nisso, tenho 1,75 Dani..hahahah! Bah...nunca erre o nome de uma mulher...sorry Dani! e está muito bom o teu texto! concordo com ele mesmo eu estando já viciado em academia e tentando sempre aumentar os pesos...e vendo resultados..mas pouco sinto dores..alongo bem antes e depois!!! hehehe!

Felicidade é sim poder fazer o que se gosta...e poder fazer isso pra outra pessoa...sendo necessário a alguem se é necessário na vida e isso fica memorizado em nós e nos outros...é assim que deixamos nosso legado na alma das pessoas..."o que fazemos em vida...ecoa pela eternidade..." faça algo pelos outros sempre....


Abraço

Luiz zimmer

Danielle disse...

Da tua listagem de consumismo, eu concordo que dela, a felicidade não vê seu real lugar. Aí mora a alegria. Porém, discordo da parte da carícia de alguém amado. Sentir carinho, ainda mais de quem você realmente gosta, dá alegria. Na verdade, o que dá felicidade é a confirmação do sentimento, o prazer de sentir que não está sozinho, de sentir calor humano, aquele calorzinho na barriga decorrente da conexão advinda do olhar fixo, aquela tramissão especial de afeto pelo brilhinho dos olhos, sentir o amor no ar (BAH, mas que coisa mais MELOSA :D cadê o heavy metal? e os trolls desprovidos de sentimentos? LOL) Também discordo da parte da estabilidade financeira. Contas = Stress = Tensão. Já o inverso: Contas quitadas = tranqüilidade = Paz = paz + realização interior = Felicidade. O que significa o 1 da equação? Ok, eu assumo, não entendi =( Pra mim, tinha que ser ZERO ao invés de um, pq 'ser feliz' e 'depressao' se anulam, por serem contrárias; assim como 'alegria' e 'tristeza'. Se elas se anulam, é igual a zero. Mas zero não é um número divisível. Então, quem é o 1? É a pessoa?

A observação pertinente ao trabalho+prazer= equilíbrio foi muito espirituosa. Ainda mais fazendo relação à alimentação. Eu ainda acho que se a salada crua não é gostosa, pôr um temperinho faz dela ser [para mim, muitas vezes] a parte mais gostosa do prato, podendo ser mais especial que a sobremesa. Ou seja, o prazer do trabalho, se for profundamente analisado, pode ser mais compensador que momentos de lazer vazio. Mas não quero tangenciar a hipocrisia: final de semana é bom demais! :D

E a tua atividade atual, não te traz satisfação? Seja otimista, reflita pelo lado bom, tenho certeza que vais te sentir feliz :D E pelo pouco que conheço de ti, diria que reminiscências da tua infância te lembram o quanto tu eras feliz.
Alegria para o horizonte? E o lado vertical, não conta? :P
Ai, a falta de prática matemática tem deixado meu cérebro mais lento nessa área *vai atrás do livrinho de nºs..*